Dia 18 de maio é a data nacional da luta contra os manicômios. É o dia de bradar aos quatro ventos que a loucura pode e deve ter o seu lugar no mundo, que as subjetividades individuais contribuem na construção do todo social e que a aceitação das diferenças, sejam elas de que níveis forem, faz parte do ideal de democracia e da esperança de um outro mundo possível. Dia 18 de maio é dia de reafirmar o compromisso com a causa antimanicomial, é o dia de reafirmar que não queremos mais hospícios em nosso país , já que esta é uma instituição retrógrada e ultrapassada, que não deve encontrar mais espaço nem respaldo em nossa realidade.

O movimento em prol da reforma psiquiátrica já alcançou algumas vitórias no Brasil. Já desospitalizou internos e reduziu o número de leitos em hospitais psiquiátricos. Mas há muito o que se fazer ainda. Dia Nacional da Luta Antimanicomial é dia de lembrar que quase 60 mil pessoas continuam presas em algum hospício brasileiro e que isto é inaceitável! Que muitos continuam morrendo nestes lugares e que este não é um destino justo. A esperança que mobilizou tantos brasileiros inclui o sonho de liberdade acalentado por tantos, há tantos anos. O Brasil de todos também precisa ser o Brasil dos portadores de sofrimento mental. A Lei 10.216 precisa ser transformada em realidade.

Do mesmo modo que o mundo aprendeu a conviver com os hansenianos, com os tuberculosos, cuja história relata episódios de rechaçamento social, agora é a vez da loucura encontrar seu lugar no mundo, e não mais no isolamento, que pode gerar ainda mais loucura, pois o homem, esteja ele em que condições esteja, é e sempre será um ser social.

No próximo dia 18 de maio, dê um grito pela liberdade…e, assim, como nos diz a canção, “seja lá como for, vai ter fim a infinita aflição. E o mundo vai ver uma flor brotar do impossível chão”.

Rede Nacional Internúcleos da Luta Antimanicomial

A REDE NACIONAL INTERNÚCLEOS DA LUTA ANTIMANICOMIAL está comemorando em todo o país o dia 18 de maio, data tão importante para todos aqueles que defendem o direito à vida e à liberdade. Entendemos que um tratamento digno e uma convivência humana com os chamados loucos é essencial na criação do ?outro mundo possível? pelo qual lutamos, ao lado de tantas outras ONGs, associações e entidades da sociedade civil.

Nos dez estados onde atuam núcleos da Rede, o Dia Nacional da Luta Antimanicomial será festejado das mais diversas e criativas maneiras. Reunindo manifestações públicas a jornadas e debates, estamos todos empenhados em ressaltar os avanços e denunciar os obstáculos à nossa luta.

As conquistas são muitas: em todo país, prossegue a implantação de serviços substitutivos aos hospitais psiquiátricos, como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), os centros de convivência, as moradias protegidas, as iniciativas para a inserção dos chamados loucos no convívio social, na cultura, no direito e no trabalho. Estes serviços avançam não só em número como em qualidade, provando que é possível e melhor cuidar em liberdade, sem segregar nem excluir.

As dificuldades, contudo, são muitas: se o 18 de maio é sempre um dia de festa, é também uma oportunidade para o surgimento de denúncias de maus tratos que atingem os portadores de sofrimento mental; é também um momentopara afirmar reivindicações, exigindo do poder público, em todos os níveis, uma posição mais firme na condução da Reforma Psiquiátrica. Mortes violentas, sem a devida apuração e penalização dos responsáveis, continuam acontecendo nos hospitais psiquiátricos. Dentre outros exemplos chocantes, citamos os 4 óbitos recentemente ocorridos no Hospital Otávio de Freitas, de Pernambuco. Temos ainda quase 60 mil leitos em hospitais psiquiátricos em todo o país- e a meta de reduzi-los para 38 mil, fixada pelo governo federal, parece-nos totalmente insuficiente, demostrando um posicionamento ainda ambíguo e hesitante diante da Reforma Psiquiátrica. Esperamos mais!- e lutaremos por isto.

Desejamos a todos os companheiros da luta antimanicomial um 18 de maio feliz e corajoso – e oferecemos a todo o Brasil esta mostra do nosso trabalho por uma sociedade mais digna e justa.

REDE NACIONAL INTERNÚCLEOS DA LUTA ANTIMANICOMIAL

1. Associação dos Usuários dos Serviços de Saúde Mental de João Monlevade (MG)
2. Associação dos Usuários dos Serviços de Saúde Mental de Minas Gerais (MG)
3. Associação dos Usuários dos Serviços de Saúde Mental do Estado de Goiás (GO)
4. Associação Verde Esperança (MG)
5. Associação Loucos por Você (MG)
6. Fórum Cearense de Saúde Mental (CE)
7. Fórum Gaúcho de Saúde Mental (RS)
8. Fórum Goiano de Saúde Mental (GO)
9. Fórum Mineiro de Saúde Mental (MG)
10. Instituto Daniel Ximenes (CE)
11. Movimento dos Usuários pela Superação do Manicômio (BA)
12. Movimento Pró-Saúde Mental do Distrito Federal (DF)
13. Núcleo Antimanicomial do Pará (PA)
14. Núcleo da Luta Antimanicomial da Paraíba (PB)
15. Núcleo Estadual de Saúde Mental (AL)
16. Núcleo Estadual do Movimento da Luta Antimanicomial (RN)
17. Núcleo Estadual pela Superação do Manicômio (BA)

Conselho Federal de Psicologia
Assessoria de Comunicação Social
ascom@pol.org.br
(61) 429-0107/328-2785/429-0100
www.pol.org.br

FONTE: www.midiaindependente.org/pt/blue/2004/05/280596.shtml